Novidades e Tendências

NOTÍCIAS

20/set/2021

Antes de calçar seu par de tênis e sair correndo por aí, saiba que apesar dos inúmeros benefícios, a corrida é um esporte que assim como outras modalidades, pode causar determinadas lesões.

Elas podem ocorrer pelo uso do tênis inapropriado, falta de alongamento, postura errada, falta de descanso e até mesmo o excesso de treino. Conheça as 5 principais lesões que podem acontecer na prática da corrida:

1 – Fascite Plantar: A lesão se manifesta com dor de fisgada na planta do calcanhar, podendo irradiar para baixo do arco ou até a parte da frente do pé. Pode ser causada por excesso de pronação e pouca flexibilidade nas panturrilhas, sendo mais comum em pessoas que estão acima do peso, ou que fiquem longos períodos em pé;

2 – Tendinite Calcânea: É a inflamação no tendão que liga o músculo da panturrilha ao calcanhar. Entre as principais estão o volume de treino excessivo, falta de aquecimento, desvios de eixos nos pés, baixa elasticidade/alongamento e fraqueza dos músculos da panturrilha;

3 – Canelite: Lesão comum principalmente nos que ainda não se adaptaram às atividades ou que exageram no ritmo dos treinamentos. É uma inflamação na canela causada pela sobrecarga da tíbia. O principal sintoma é a dor forte na frente da perna;

4 – Entorse de tornozelo: É uma lesão dos ligamentos que ocorre após uma torção no pé. O tratamento inicial sempre envolve proteção do pé torcido e reabilitação fisioterápica.

5 – Fraturas por estresse: Geralmente ocorrem na tíbia, metatarsos, fíbula e navicular e são o resultado de um desequilíbrio entre estresses mecânicos locais e o remodelamento ósseo. As causas são diversas e a fratura pode se relacionar com a insistência do corredor em treinar mesmo sabendo que seu corpo já está dando sinais como dor e fadiga.

É importante lembrar que também existem diversos fatores envolvidos no surgimento de lesões. Alguns deles são imprevisíveis, mas uma boa parte pode ser evitada. Uma forma de prevenção é realizar um aquecimento específico antes de iniciar qualquer modalidade esportiva.

Além disso, é importante seguir à risca todas as recomendações de um profissional, que poderá indicar a melhor forma de recuperação para o seu problema.


23/ago/2021

Qual é a posição do seu corpo enquanto você anda, dirige ou trabalha? Se os ombros estão sempre caídos e a coluna encurvada, você está correndo sérios riscos de apresentar dores nas costas e comprometer o funcionamento de diversos órgãos.

Por isso, saber como corrigir a postura e realizar a reeducação postural correta é essencial para evitar que esses problemas aconteçam:

  1. Preste atenção à sua postura ao longo do dia: Uma postura ruim é resultado de pequenos hábitos diários que podem passar batido. Pode até parecer difícil prestar atenção aos detalhes, mas com um pouco de esforço é possível mudar atitudes que, a longo prazo, farão toda a diferença.
  2. Escolha uma posição confortável para dormir: Para uma postura correta, durma posicionado de barriga para cima e evite travesseiros muito altos. Outra dica é dormir de lado e com um travesseiro entre as pernas para aliviar o peso nos joelhos e evitar rodar demais a coluna.
  3. Evite carregar pesos em excesso: Carregar peso em excesso é um fator que o distancia, cada vez mais, de uma postura correta. Sacolas de supermercado, por exemplo, devem ter o peso distribuído nos dois braços para evitar sobrecarregar em apenas um lado.
  4. Faça exercícios físicos e alongamentos constantes: Exercícios físicos ajudam a fortalecer os músculos que oferecem uma base de sustentação mais eficiente para todo o corpo, prevenindo as lesões causadas por músculos fracos e flácidos. Isso pode ser feito com musculação, natação, yoga, pilates e RPG.
  5. Invista em ergonomia no trabalho: É praticamente impossível trabalhar em um local que esteja totalmente adaptado às condições do seu corpo. Invista em ergonomia na empresa, como cadeiras e adaptadores corretos.

Repense os seus hábitos e comece a aplicar essas dicas na sua rotina. Assim, você se prevenirá de problemas ainda mais sérios no futuro e que podem interferir na sua qualidade de vida de maneira definitiva. Em caso de dúvidas sobre a reeducação postural, procure o Instituto Osmar de Oliveira.

 


16/ago/2021

Poucos conhecem a importância da fisiatria, a área da medicina responsável pelo tratamento de diferentes eventos decorrentes de traumas, lesões do sistema nervoso (central ou periférico), doenças reumáticas, doenças vasculares e das dores crônicas observadas na coluna e nos membros superiores e inferiores. Mas como o fisiatra pode te ajudar?

Ainda que todas as especialidades cuidem das dores, é o fisiatra que tem como foco a reabilitação do paciente que está com a mobilidade comprometida por doença ou por lesões.

O fisiatra avaliará o paciente e o orientará sob o ponto de vista medicamentoso e fisioterápico.

As questões médicas específicas da reabilitação incluem controle da dor, da função intestinal, da bexiga neurogênica, da disfagia, da ataxia de marcha e movimento, do controle da espasticidade e educação da doença.

Na fisiatria, o profissional é capaz de receitar tratamentos em diferentes abordagens, que vão de medicamentos, sessões de fisioterapia, bloqueios neuromusculares e infiltrações que podem ser feitas com diferentes medicamentos diretamente em uma determinada área do corpo.

A reabilitação fisiátrica se concentra no paciente como um todo ou em cada um dos principais sistemas orgânicos que estejam afetando as funções.

Finalmente, o fisiatra ajuda os pacientes a atingir a máxima função e a mais alta qualidade de vida possível.


27/out/2020

Articulações, como joelhos e cotovelos, são conexões entre ossos e as dores durante o inverno nessas regiões estão associadas à queda de pressão e temperatura ambientais. As dores tendem a ser ainda mais intensas em locais previamente lesionados ou se a pessoa sofre de alguma doença, como artrite e artrose.

Os músculos se contraem na tentativa de produzir calor, aumentando a tensão nas fibras musculares. 

Outro fator é o fenômeno chamado de vasoconstrição periférica: os vasos sanguíneos das extremidades se contraem e direcionam o sangue para o tronco, a fim de manter uma temperatura favorável aos órgãos vitais (cérebro, coração, pulmão e outros órgãos internos). 

Com isso, os músculos e as articulações recebem um menor aporte sanguíneo, o que acarreta na redução do seu efeito de proteção articular durante o movimento e ficando mais sensível à dor.

Para prevenir as dores articulares, a melhor opção é não ficar parado. Muitos deixam de fazer exercícios com a chegada do frio, mas ficar em movimento é justamente a melhor maneira de evitar os desconfortos físicos trazidos por esta época do ano. 

Durante o exercício, elevamos a nossa temperatura corporal – condição fundamental para a reversão dos processos que causam dores musculares e nas articulares. 

Além disso, fazemos com que o sangue seja bombeado com mais facilidade para locais onde costumamos ter mais frio, como as mãos e os pés, o que também ajuda a nos manter aquecidos.

Se houver persistência ou intensificação dos sintomas, não deixe de buscar orientação e se consulte um médico ortopedista. 

Dores articulares no inverno podem ser indícios de doenças mais preocupantes que requerem tratamento especializado. Somente um profissional qualificado poderá lhe indicar a medicação e os procedimentos adequados. Para isso, não deixe de procurar o Instituto Osmar de Oliveira, estamos à disposição para te orientar da melhor forma!


Palmilhas_e_Sapatos_-_Dr._Responde_3.png
30/mar/2020

Para que possamos manter a saúde de nossos pés, que suportam todo o peso de nosso corpo, é importante revermos nossos conceitos, priorizando a acomodação correta dos pés nos calçados com conforto e estabilidade. Isso pode ser feito com as palmilhas e sapatos ortopédicos que temos no mercado atualmente.

Como acontece de forma silenciosa, as dores e os problemas só são percebidos com o tempo. E cuidar da saúde envolve não apenas manter uma alimentação balanceada e ter boas noites de sono, mas também optar por formas de deixar o corpo confortável, como o uso de palmilhas e sapatos ortopédicos.

Qual a finalidade dos sapatos ortopédicos?

O uso dos sapatos ortopédicos foca em melhorar, aliviar e corrigir os mais diversos problemas nos pés de quem sofre algum problema. Esses calçados ajudam a pessoa a não ter mais incômodos e ter uma vida totalmente normal.

Por fazer com que seu peso e todo impacto seja distribuído da maneira mais apropriada ao caminhar, o fluxo sanguíneo será estimulado pela diminuição na tensão. Esse é um benefício muito valioso dos sapatos ortopédicos para aqueles que possuem problemas como diabetes, obesidade ou que tenham o risco de desenvolver doenças como a trombose.

Outras áreas do corpo também são beneficiadas pelo uso do tênis ortopédico, que reduz lesões nos tornozelo e dores no calcanhar.

Qual a diferença das palmilhas ortopédicas para as normais?

Diferentemente das palmilhas ortopédicas, as palmilhas tradicionais que já vêm acompanhadas do calçado não possuem nenhum tipo de padronização. Cada marca escolhe o modelo de acordo com custo de produção, sem se importar com a saúde dos usuários.

A vantagem de usar palmilhas ortopédicas começa com a possibilidade de adaptação à anatomia do seu pé. Elas são fabricadas de forma personalizada levando em consideração o tipo de pisada e postura corporal de cada um, podendo corrigir até mesmo deficiências anatômicas.

Algumas são até mesmo confeccionadas com silicone e possuem boa resistência e capacidade de amortecimento, proporcionando um alto grau de absorção de impactos. São macias e flexíveis, ideais para prática de esportes e para o uso diário.

Como saber se preciso utilizar?

Procure orientação com um médico profissional para saber se você tem algum problema de postura ou na coluna que pode ser corrigido com as palmilhas e sapatos ortopédicos. Ele indicará o melhor modelo e a frequência de uso mais adequada.


07/nov/2019

Sente dor no joelho após alguns quilômetros de iniciar a corrida?

Você não está sozinho, essa é uma dor muito comum entre os corredores, e é notada na face externa do joelho após poucos quilômetros de corrida.

Essa lesão muitas vezes é reflexo da sobrecarga decorrente da falta de planejamento e preparação física e estima-se que no Brasil tenha cerca de milhões de corredores na rua sem qualquer tipo de orientação.

Outro cenário muito comum, é o de pessoas que migram de repente do sedentarismo para a corrida, e forçam joelhos e tornozelos sem o mínimo de preparação.

Durante o exercício, o impacto contínuo sobre as articulações é de até três vezes o peso do atleta e o sintoma varia com a intensidade e tempo de duração dos exercícios. Na maioria dos casos, a dor some ao fim da corrida.

A doença é conhecida como a Síndrome da Banda Iliotibial, também chamada de “joelho de corredor”.

A estrutura afetada chama-se Trato Iliotibial, e o aumento do atrito entre o trato e a parte externa do joelho (epicôndilo femoral lateral) é a causa da dor.

Para evitar complicações, mantenha um ritmo saudável de exercícios e faça alongamentos.

Procure ajuda médica aos primeiros sintomas.

Machucou? Lesionou? Doeu?

Instituto Osmar de Oliveira


07/nov/2019

Sente dor no calcanhar quando acaba a corrida?

Essa é uma das lesões que além de gerar incômodos físicos, desanima qualquer um.

Quem corre sabe o quanto é importante cuidar dos pés, qualquer dor ou lesão pode significar o abandono do hobby ou até mesmo de uma prova importante.

Os cuidados começam na escolha dos calçados (desde os usados no dia a dia aos de corrida). Atenção aos alongamentos, e manutenção de frequência e intensidade saudáveis.

Saiba agora quais são as 6 lesões mais comuns entre os corredores e como evitá-las.

  • Bolhas

As bolhas são formadas por uma camada de células mortas que protegem a pele. Apesar de não ser considerada uma grave lesão, as bolhas podem ser muito dolorosas impedir que você realize a atividade.

Para evitá-las, invista em meias próprias para corrida e não exagere nos treinos.

  • Dormência

Essa é mais uma das queixas muito comuns entre os corredores, muitas vezes é causada pelo amarração apertada do tênis; COMO os pés incham durante a corrida, é importante optar sempre por calçados mais confortáveis para evitar o incômodo.

  • Fascite Plantar

Trata-se de uma dor no calcanhar causada pela inflamação da fáscia plantar, que é uma estrutura de proteção dos músculos com poder de absorver os impactos e proteger os ossos do pé.

Ao caminhar ou correr, a planta do pé distribui o peso do corpo e absorve uniformemente os impactos. Com a inflamação, as fibras da fáscia tendem a não funcionar perfeitamente e causar dor, geralmente após PERÍODO DE REPOUSO SEGUIDO DE ATIVIDADE FÍSICA INTENSA

O ideal é realizar alongamento específico para quadril, pernas e pés antes de corrida, além de tomar cuidados com tênis e ajuste da pisada.

  • Pé de atleta

TRATA-se de uma infecção por fungos desenvolvida em áreas úmidas do pé. É transmissível e o atleta também pode ser EXPOSTO PELO contato com superfícies contaminadas, como piso de vestiários por exemplo.

Evite não COMPARTILHAR objetos pessoais, principalmente o chinelo.

  • Joanete

Trata-se de uma deformidade no dedão no pé que, quando em atrito com o calçado, causa dor e processo inflamatório local.

Evite optando sempre por tênis confortáveis e de boa qualidade.

  • Calos

O aparecimento de calos indica que há pressão entre o pé e o calçado usado, para evitar o incômodo, escolha bem os tênis, com numeração e amarração corretas.

Machucou? Lesionou? Doeu?

Instituto Osmar de Oliveira


IOO-Blog-como-evitar-a-cãibra-1.png
19/abr/2018

A cãimbra é uma dor súbita, forte e involuntária que se manifesta durante a prática intensa de atividades físicas, habitualmente nos praticantes que estiverem mal condicionados ou mal alimentados. Ela é resultante da falta de sais minerais e vitaminas, o que leva o organismo à fadiga muscular. A respiração é um ponto chave para evitar […]


instituto
O Instituto Osmar de Oliveira construiu ao longo destes últimos 40 anos uma trajetória de sucesso e profissionalismo, tornando-se referência em São Paulo na área da Ortopedia, Medicina Esportiva e Reabilitação.

R. Dona Germaine Burchard, 332 - Perdizes - São Paulo - SP - CEP 05002-061

Últimos artigos publicados