Novidades e Tendências

NOTÍCIAS

04/mar/2021

As bandagens elásticas foram desenvolvidas na década de 70, na Ásia, mais especificamente no Japão pelo quiropraxista Kenzo Kaze , que idealizou que por meio de pressão e força sobre músculos e articulações ocorreria apoio e estabilidade.

A bandagem elástica é um recurso terapêutico para quem pratica atividades físicas, mas também em patologias neurológicas e ortopédicas. O seu objetivo é buscar  reeducação postural,  reduzir o quadro inflamatório com a melhora da circulação sanguínea e consequentemente diminuir a dor,  a propriocepção e desta forma promover a reabilitação física, bem como atuar na prevenção de lesões musculares e articulares

Existem 2 tipos de bandagens elásticas:

  • Rígidas cujo objetivo é estabilizar a articulação, limitando movimentos
  • Funcionais já permitem livremente os movimentos

A aplicação de bandagens deve ser feita por profissional qualificado, que normalmente é  um fisioterapeuta com formação especializada.

Há que se ter cautela na sua aplicação em gestantes.

As contra-indicações de seu uso são voltadas para:

  • Quadros alérgicos, uma vez que o material da bandagem é sintético à base de elastano
  • Em feridas abertas ou cancerígenas ou que denotam infeção
  • Fraturas e rupturas completas de tendão
  • Diabéticos
  • Doentes renais
  • Portadores de trombose

 

 


24/nov/2020

Apesar de ser uma especialidade médica com décadas de existência, a Medicina Esportiva foi apresentada ao público apenas nos últimos anos, devido ao aumento da prática esportiva regular.

A prática esportiva demanda bastante do corpo e praticamente de todos os sistemas: batimentos cardíacos são acelerados, há um maior consumo de oxigênio e de nutrientes, maior demanda sobre os músculos e as articulações em geral, concentrações hormonais diferentes etc.

O exercício físico frequente, embora extremamente benéfico, demanda uma série de cuidados especiais para não se tornar um vilão.

É recomendada uma análise especializada sobre o perfil corporal do indivíduo, incluindo características constitucionais e adquiridas, que permitam ações preventivas e também corretivas visando o aumento de performance e redução de impactos e lesões, sejam de atletas profissionais, sejam da população em geral.

Portanto, é essencial que exista um médico especialista que conheça bem todas essas demandas relacionadas à prática esportiva e saiba lidar com as principais lesões relacionadas.

Qual a função da Medicina Esportiva?

O médico do esporte atua diretamente na saúde do esportista ou atleta, visando a proteção e prevenção de doenças e lesões, melhora do desempenho, recuperação muscular ou reabilitação, preferencialmente integrado a uma equipe multidisciplinar.

Além disso, o profissional se propõe a auxiliar tanto  indivíduos saudáveis quanto portadores de condições (como obesidade, osteoporose, hipertensão arterial, diabetes, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença coronariana) a alcançarem os benefícios da prática física com segurança e eficácia, além de recuperar a função da estrutura, prescrevendo  tratamentos que permitam que o esportista volte a ter uma alta performance. .

O cuidado com o paciente e a comunicação com todos os profissionais envolvidos é fundamental para sua saúde e desempenho esportivo. Se começar a praticar exercícios está em seus planos, a Medicina Esportiva pode ajudá-lo. Entre em contato e agende uma consulta no Instituto Osmar de Oliveira!


26/ago/2020

O futebol é o esporte mais amado e praticado do Brasil e sua prática se constitui em uma atividade física muito boa para a saúde e qualidade de vida, mas pode apresentar alguns riscos. Principalmente o futebol amador.

As lesões no futebol não são exclusividade dos jogadores profissionais e estão relacionadas a uma série de fatores como falta de estrutura, além de preparação e condicionamento físico inadequados.

Fique atento durante a prática!

Por se tratar de um esporte de contato, corrida e muito esforço físico, logo, as lesões são inevitáveis e a maioria delas ocorre devido à fadiga muscular causada pela sobrecarga e pouco preparo físico do jogador, daí a importância de sempre se fazer alongamento e aquecimento prévios , pois além de atuar na musculatura vai contribuir para evitar lesões.

As lesões podem ser não-traumáticas ou traumáticas.

As lesões não-traumáticas (ocorrem sozinhas, ou seja sem interferência de algo ou alguém) e são mais comuns entre os goleiros e são caracterizadas pelas tendinites, bursites, lombalgias e traumas na coluna por excesso de esforço e impacto.

Na coxa pode haver estiramento muscular e diversos graus de lesões até a lesão total de algum músculo. Canelites também são frequentes devido à corrida ou sobrecarga física, e, nos pés podem ocorrer lesões por excesso e repetição de movimento como fascites e tendinites.

E as lesões traumáticas?

Lesões traumáticas infelizmente são mais frequentes no esporte amador, devido ao baixo preparo físico e rotina pesada de jogos, e na maioria das vezes sem dedicação à recuperação do atleta.

Os traumas mais comuns durante a prática do futebol amador são nos membros inferiores com lesões de todos os tipos como pisões, joelhadas ou chutes, causando assim contusões,  tendinites, entorses, luxações e traumas outros como fraturas graves e lesões diversas de coluna.

Os ortopedistas são os médicos mais indicados para tratar qualquer patologia voltada para a traumatologia e os médicos do esporte com especialização também em traumatologia pode ser um diferencial no acompanhamento e  orientação da sua atividade esportiva, no caso aqui, o futebol.

Precisa de orientação médica? Entre em contato e agende uma consulta!


22/jul/2020

Cãibras podem acometer qualquer um, inclusive pessoas saudáveis e com bom condicionamento físico.

Essas contrações musculares dolorosas costumam ocorrer pelos mais diversos motivos e podem acontecer em repouso, durante uma atividade física ou até mesmo no meio da noite durante o sono.

A desidratação proveniente do desgaste físico, o encurtamento muscular que ocorre quando um praticante de corrida tem pouca amplitude de movimento, e a falta de nutrientes, como o sódio e o potássio, são os principais fatores para o aparecimento da câimbra.

E no inverno, o problema tende a piorar porque, nos dias frios, as baixas temperaturas tendem a provocar a chamada constrição vascular (diminuição dos calibres dos vasos sanguíneos), prejudicando a circulação do corpo. Com as terminações nervosas mais sensíveis, o organismo manifesta o problema a partir da contração dos músculos, causando a dor.

Geralmente ocorre na panturrilha, mas também podem acontecer em outros grupos musculares do corpo, como coxa, pés e mãos.

O sintoma mais comum da cãibra é uma dor intensa e aguda, com duração de alguns segundos a 15 minutos. No entanto, em alguns casos, um nódulo protuberante de tecido muscular sob a pele também pode acompanhar uma cãibra.

Como evitar essas dores?

Mantenha-se hidratado, pois a desidratação é a principal causa da ocorrência de cãibras musculares. Procure ingerir pelo menos 2 litros de água diariamente.

Manter uma alimentação saudável e consumir alimentos ricos em minerais, potássio, magnésio e cálcio são estratégias utilizadas para promover a reposição dos nutrientes. Banana, castanha do Pará, aveia, granola e brócolis são algumas das opções.

Fazer exercícios sem exagero e também evitar o sedentarismo. Fazer caminhadas para ativar a circulação, evitar gorduras e excesso de carboidratos (para não “entupir” as artérias). Natação também é uma boa opção, pois trabalha toda a musculatura corporal.

A maioria das cãibras musculares não são graves, mas se forem constantes, procure orientação médica.


04/out/2017

Com a competitividade do futebol moderno, até as lesões mudaram de característica. Antigamente, as principais lesões eram provenientes de faltas ou choques entre dois jogadores. Atualmente esses traumas estão altamente relacionados a movimentos de rotação e explosão muscular. Uma análise feita em prontuários médicos de oito times com atletas profissionais, ortopedistas da Universidade Federal de […]


18/jul/2017

Sempre que este assunto é abordado pelos meios de comunicação em matérias sobre cotidiano e treinamento dos corredores, uma pergunta é feita: corredores se beneficiam ou não com o treinamento de força realizado durante a temporada de treinos e competições? Talvez o mais plástico dos órgãos do corpo humano, o músculo pode sofrer modificações em […]


12/mar/2017

O médico do esporte José Marques Neto explica sobre o processo de produção da substância. Seguramente um dos suplementos alimentares mais prescritos e utilizados em anos recentes no nosso meio é a proteína do soro do leite, ou whey protein, que se tornou famoso entre os praticantes de atividade física, principalmente aqueles que treinam força […]


30/nov/2016

A rigor, não. A altura é fundamentalmente genética. Alguns autores chegam a afirmar que há estímulo do crescimento ósseo em comprimento e largura nos jovens que praticam esportes, mas esses trabalhos ainda merecem confirmação e não permitem qualquer expectativa favorável. Entretanto, nas pessoas em crescimento, como a prática de atividades esportivas lhes confere uma postura […]


instituto
O Instituto Osmar de Oliveira construiu ao longo destes últimos 40 anos uma trajetória de sucesso e profissionalismo, tornando-se referência em São Paulo na área da Ortopedia, Medicina Esportiva e Reabilitação.

R. Dona Germaine Burchard, 332 - Perdizes - São Paulo - SP - CEP 05002-061

Últimos artigos publicados