Novidades e Tendências

NOTÍCIAS

19/ago/2020

LER – LESÃO POR ESFORÇO REPETITIVO

DORT – DOENÇA MUSCULAR RELACIONADA AO TRABALHO

A LER/DORT representam um importante problema para qualquer tipo de pessoa.

Por quê tem 2 nomes para a mesma doença? 

Na verdade a doença é a mesma e ela só muda de nome quando se sabe quem é o paciente e qual sua rotina.

Se a dor e o quadro clínico não está relacionado ao trabalho remunerado chamamos de LER, mas se estiver chamamos de DORT, pois isso tem implicações previdenciárias, dentre outros.

Ao contrário do que o nome sugere, esse quadro não aparece somente pela repetição de movimentos. A realização de atividades feitas de forma errada ou com mais força que o normal, também podem causar dores como também de condições inadequadas no ambiente do trabalho, que chamamos de ergonomia.

A LER pode atingir qualquer pessoa que execute determinado movimento repetidamente, seja por digitar no computador, usar o celular, limpar a casa, escrever na lousa, carregar peso, fazer atividades manuais como tricô e crochê, jogar videogame etc…

Alguns fatores de risco contribuem para o desenvolvimento desse problema, tais como postura incorreta, trabalhar com direção (motorista profissional, por exemplo), trabalhar com digitação e várias outras possibilidades que incidem nesse sentido.

A LER costuma se desenvolver de maneira lenta e progressiva no corpo dos pacientes, sendo necessário ter bastante atenção para evitar que ela progrida de maneira grave e que possa comprometer algum tipo de atividade futura do paciente.

Afinal, quais são os sintomas da LER/DORT?

Os sintomas da LER /DORT podem incluir dor, formigamento, dormência, sensação de agulhadas ou pontadas, diminuição da força muscular, inchaço, dificuldade de realizar movimentos, entre outros.

Como funciona o tratamento?

O seu tratamento vai depender de cada caso, do tempo da doença, da idade, da função laboral e do grau de ansiedade do paciente e pode requer medicação, fisioterapia, psicologia e as vezes até procedimentos cirúrgicos.

Além da imobilização e repouso, pode-se também lançar mão do uso do calor e do gelo para alívio da dor. A compressão e elevação pode ajudar a drenar o edema local, quando este se fizer presente.

Entretanto, podem ser utilizados outros métodos de tratamento fisioterápico, sendo que a finalidade sempre será de reduzir a dor, o edema e a inflamação, proporcionando assim uma situação em que se possa normalizar a força muscular e o retorno às atividades, quando possível.

Procure ficar atento ao esforço repetitivo diário! E se precisar de orientação médica, entre em contato conosco e agende a sua consulta!


instituto
O Instituto Osmar de Oliveira construiu ao longo destes últimos 40 anos uma trajetória de sucesso e profissionalismo, tornando-se referência em São Paulo na área da Ortopedia, Medicina Esportiva e Reabilitação.

R. Dona Germaine Burchard, 332 - Perdizes - São Paulo - SP - CEP 05002-061

Últimos artigos publicados